Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

13
Jul 08
"fingir que está tudo bem: o corpo rasgado e vestido

com roupa passada a ferro, rastos de chamas dentro

do corpo, gritos desesperados sob as conversas: fingir

que está tudo bem: olhas-me e só tu sabes: na rua onde

os nossos olhares se encontram é noite: as pessoas

não imaginam: são tão ridículas as pessoas, tão

desprezíveis: as pessoas falam e não imaginam: nós

olhamo-nos: fingir que está tudo bem: o sangue a ferver

sob a pele igual aos dias antes de tudo, tempestades de

medo nos lábios a sorrir: será que vou morrer?, pergunto

dentro de mim: será que vou morrer?, olhas-me e só tu sabes:

ferros em brasa, fogo, silêncio e chuva que não se pode dizer:

amor e morte: fingir que está tudo bem: ter de sorrir: um

oceano que nos queima, um incêndio que nos afoga."



José Luís Peixoto
magnetizado por Bibs às 23:28

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO