Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

28
Mai 10

Desengane-se aquele que vem aqui para ler um post do jogo.

Eu também já fui viciada em Farmville e já andava num nível bem adiantadote, mas agora tenho a quinta em total standby e não sei se irei voltar.

 

Venho falar-vos de quintas para cerimónias:

li milhares de comentários sobre quintas para eventos sociais (vulgo casamento, baptizado and so on); vi as suas fantásticas promoções para quem faz a festa num dia da semana ou num feriado ou num domingo... vi as fotos, as prosmeirices, os serviços mega kit, mega promo, mega rasca.

 

Conclusões:

Há meia dúzia (em milhares) que oferecem um serviço decente num espaço decente.

A comida gira sempre em torno das mesmas besuntices... E há sempre o severo risco de termos 1 prato semi-gelado de comida à frente.

Resta-me agora saber quantas, da tal meia dúzia, irão praticar um preço minimamente aceitável...

 

Let the show begin!

 


Tava agora mesmo a olhar pa elas.

Impecavelmente bem limadas, cor linda, preservada.

Ausência de cutícula, comprimento adequadíssimo.

 

Adoro-as (é também sei ser fútil de vez em quando)

magnetizado por Bibs às 14:40

Caríssimos,

 

Ontem pensei que ia desta para melhor.

Depois de um dia pesadão de trabalho, entrei em casa já o ponteiro andava quase nas 21h.

 

Fui dedicar-me aos preparos do mui nobre e aclamado jantar  - que não foi muito além de uma sopita, 1 pão com algo e uma taça giga de morangos.

Meia hora depois de deglutir o atractivo conjunto de alimentos, era ver-me a mudar de cor... a ter visão em túnel e tonturas e enjoos dignos de grávida. Os meus nervos têm uma ignição directa ao meu Sistema Digestivo.

Segurei os bofes, ajustei a vela da barcarola e jurei para mim mesma que não ia deixar virar a minha embarcação.

Hoje, depois de um contacto semi-turbulento com o meu pequeno-almoço, estou intacta e sobrevivi à experiência alucinogénica que é ter uma paragem digestiva. Nenhum cogumelo mágico me poria tão alucinada como estive ontem, quando via o candeeiro do tecto do quarto a desmultiplicar-se em variadíssimos outros...

 

Continuarei a fazer os relatos gástricos.

 

Na pior das hipóteses, descrevo-vos a endoscopia!..

 

 

 

magnetizado por Bibs às 14:31
sinto-me:
Banda Sonora: Ao passar um navio - Delfins

O meu trabalho é tão pluri, multi, mega, xpto... que neste momento tenho 18 pessoas caladas à minha frente e posso estar a escrever 1 post ao mesmo tempo!

Durante a manhã lá andei por mais uma escola de miúdos indecisos, e agora estou sentada de rabiosque confortável onde ambiciono chegar daqui a 1 anito e trocos.

POWERFUL

 

Tenho dito!

 

 

magnetizado por Bibs às 14:27
sinto-me:
Banda Sonora: Show must go on

24
Mai 10

"A vida prejudica a expressão da vida.

Se eu vivesse um grande amor,nunca o poderia contar."

magnetizado por Bibs às 17:52

19
Mai 10

Olhei para ela. Tinha à minha frente mais uma pessoa, como tantas outras.

Mais uma com os mesmos problemas, as mesmas dificuldades. A mesma impotência. Sim, aparentemente era mais uma que não conseguia.

Começou no seu discurso, um pouco disconexo, sem um princípio lógico, sem um fim previsível:

 

 - Tenho uma coisa a dizer-lhe. Não sei que conselhos me vai dar aqui. Aliás, faço uma pequena ideia, mas não posso dizer ao certo. Sejam lá quais forem... há um pedido que lhe quero fazer: que não sejam pagos. Não posso gastar mais em mais nada. Eu sou aquela que não sai aos fins-de-semana, por saber que não tem dinheiro para tomar um café.

 

(...)

 

 

Os problemas estão tão perto de nós...

magnetizado por Bibs às 14:29

Isto tem andado mais calmo, mas ainda assim:

 

 - Bustos

 - Amares

 - Lisboa

 - Albergaria

 - Bruxelas

 

Desde a cidade cosmopolita ao querido Portugal profundo... profissão, a quanto obrigas!

magnetizado por Bibs às 14:24
Banda Sonora: Highway to hell
tags:

Esta calor faz-me FELIZ!

Apesar de andar com as tensões coladas ao chão da calçada e me sentir a cair para o meio do chão de 5 em 5 segundos - confissões de uma hipotensa - o sol deixa-me naturalmente de sorriso nos lábios.

As roupas são mais leves, dá vontade de andar a pé a arrastar o sol connosco.

 

Ontem estive de trombil ao sol no final de tarde (pré-consultas). A esplanadinha à beira mar plantada deu-me uma sensação de paz inigualável (amo-te porto).

A praia estava povoada de adolescentes com muito tempo livre. É aos 25 anos, quando se trabalha 8 ou 9 horas por dia (às vezes um pouco +), que uma pessoa se apercebe que a boa vida já não é o que era!..

1 singela hora de alapanço na esplanada foi o suficiente para me deixar realizada. Há uns anos atrás, era capaz de ir para lá com os livrinhos de manhã à noite.

 

Como não poderia deixar de ser, este sol faz-me pensar em férias (que ainda não se avistam bem). Faz-me pensar na tremenda vontade que tenho de mudar de ares, do cheiro do protector solar, de levantar voo e partir à descoberta...

 

Devaneios de uma miúda que não devia estar a escrever doideiras no blog a esta hora.

 

 

 

 

 

magnetizado por Bibs às 14:10
sinto-me:

17
Mai 10

Ontem viu-se 500 days with Summer.

Posso recomendar vivamente?

Sabem quando mergulham completamente na história, se revêm numa ou outra personagem, naquela vidinha prosaica, cheia de nada?

Quando a história nos diz respeito, o interesse é sempre maior.

O filme é uma pequena delícia. Cada passagem marca. Desde a decoração às fatiotas, passando pela banda sonora, que para mim é um delirium tremens. São 500 dias muito bem abreviados, com direito a um forte aplauso pelo poder encantatório do final "feliz". Encheu-me muito bem as medidas.

 

 

Tom: Look, we don't have to put a label on it. That's fine. I get it. But, you know, I just... I need some consistency. 

Summer: I know.
Tom: I need to know that you're not gonna wake up in the morning and feel differently. 

Summer: And I can't give you that. Nobody can.

magnetizado por Bibs às 15:45
Banda Sonora: Please, please, let me get what i want - The Smiths
tags:

02
Mai 10

É domingo. Dia da mãe (adoro-te muito mãe, mesmo com as nossas turras tão peculiares, o nosso amor é infinito), dia da benção das pastas, dia de celebrar, dia de derrota para o benfica. É dia de tanta coisa com ou sem valor, e é também dia de vazio.

Tenho a mala feita ("... o que importa é partir, não é chegar"), estou recostada na cadeira, no porto de abrigo. Não posso dizer que tenho, neste momento, um diferendo com a minha vida.  

E, contudo, estou tão mal por dentro. Porque não vivo só para mim. Porque sei que, aqui bem perto, alguém que eu adoro tanto, está tão mal. E, acima de tudo, por me sentir tão impotente.

Não sou capitã deste mundo; não rejo destinos, não posso dar ordens à tripulação. Não posso, a bem dizer, fazer nada.

Aonde está a minha fé?

Na vela que teimo em manter acesa e ténue?

Em mim, incrédula e sem superpoderes?

Qual é o limite da minha fé?

 Dou por mim a por em causa... Não gosto. Acreditar trouxe-me até aqui. Trouxe-me ao que sou. Ao muito ou pouco que consegui. Esta tremenda incapacidade de acreditar, depois de ouvir o choro abafado e gritante... Esta dor, ao sentir aquela dor. Este desespero mudo sem poder arrancar o chão ao mundo. Sem poder fazer do mundo o que precisava que ele fosse.

Este fim que nunca teve sequer um começo... O que é a vida? O que é este conjunto de dilemas? O quê??? E parece que não sei nada. As estradas intersectam-se sem terem caminhos comuns. "Para que nada mude, é preciso que tudo mude..." "Para que nada mude, é preciso que tudo mude..." "Para que nada mude, é preciso que tudo mude..." "Para que nada mude, é preciso que tudo mude..." "Para que nada mude, é preciso que tudo mude..." Mudar o quê? O que não pode ser mudado? Como é que te posso deixar para trás?.. Como?

 

Mais um xuto de fé... Mais um calcanhar dorido... Mais um dia... E outro. Ainda outro.

Mais alguns.

Até que a dor te passe. Até que a dor te adormeça e te faça sentir que tudo não passou de um sonho mau.

Até que acordes de novo e consigas ver que ainda há muito caminho pela frente.

E, nessa altura, talvez eu te possa ajudar.

Estou aqui. Aparentemente serena e em turbilhão por dentro. A pensar onde andarás agora. Se precisas ou não que vá já ter contigo. E o teu silêncio não me subtrai a angústia. O teu silêncio é o meu medo.

 

 

magnetizado por Bibs às 22:04

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
20
21
22

23
25
26
27
29

30
31


subscrever feeds
Visitantes úteis
Hit Counter
Free Web Counter
Dia fútil do mês
Related Posts with Thumbnails
me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO