Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

28
Jan 09

Viva

Sangue a correr nas veias, acesas e lânguidas

Corpo entregue, solto, leve

Transporta-me

Faz-me ter saudades do que tive, tenho, terei

Apetece muita coisa...

E por isso, é intemporal

Imortalizada naquela noite no Sá da Bandeira, que acabei de rever mentalmente enquanto a ouvia

 

Ofereço-vos

magnetizado por Bibs às 15:31
Banda Sonora: Epoca - Gotan Project
tags: ,

Transcrevo e subscrevo. Pese embora o respeito ao autor, reconheço que nunca gostei dele nem do "Acontece", nem de nada do que li dele, à excepção de uma frase, que já usei milhentas vezes: "... na robustez das grades, que prende a liberdade a sete chaves".

Mas às vezes, rendemo-nos à evidência... e desta vez, não pude eixar de o trazer até aqui...

 

 

"Andamos todos ressabiados. Invejamo-nos, desprezamo-nos; se os outros não tiverem defeitos, inventamo-los; deixámos de ser transeuntes, cidadãos: trespassamo-nos com a indiferença, o ressentimento e o ódio. A notícia da prisão deste ou daquele, banqueiro ou vizinho, amigo ou inimigo, lança no nosso íntimo uma alegria obscena. Não vivemos - existimos no pequeno mundo de obcecações que nos cegam. Que nos aconteceu? Quem nos roubou a humanidade que permite a clarividência e a energia necessárias para suportar a adversidade, a mentira, a infâmia? Tudo nos conduz e nos empurra para um futuro ainda mais amargo, mais confuso e ambíguo do que este presente. E, no entanto, é preciso perceber que o comportamento individual pode responder às exigências dos grandes compromissos e das grandes fidelidades. Todos os dias as notícias são medonhas. Todos os dias tomamos consciência de novas verdades, de novas mentiras e de constantes tentações para a irresponsabilidade. Aquele vai embora e nem um breve aceno lhe concedemos. Aqueloutro foi despedido e a nossa impassibilidade é um muro gelado. Que fizemos de nós? Nós, que somos a nossa própria criação e a criação do outro. Foi esquecida a condição de todos, que considerava a condição de cada qual. As coisas revolutearam confusamente; mas as coisas não aconteceram por acaso. Não conseguimos manter intacto o que era fundamental. E estamos envolvidos numa perplexidade sem limites que provoca desassossegos desnecessários."

 

Baptista Batos in DN 28-01-2009

magnetizado por Bibs às 12:18

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
15

20
24

30
31


subscrever feeds
me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO