Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

17
Out 07
Devo um post ao Dia Mundial da Alimentação!


  • Não poderia deixar de prestar a minha homenagem ao Dr. Emílio Fernando Alves Peres (1932-2004) - personalidade de marcantes características humanas, pedagógicas e científicas, que simboliza no nosso país a criação do ensino universitário de Nutrição e o nascimento de uma verdadeira escola de pensamento nesta área. A sua sapiência continua a guiar-nos.

  • Muito se fala das doenças típicas das sociedades de abundância, como é o caso da obesidade, hipertensão arterial, dislipidemias,... Mas hoje elas estão disseminadas, mesmo nos países com índices de pobreza in extremis, graças à economia de escala que põe fast food em tudo quanto é beco, a preços imbatíveis. Nos últimos anos, e pela primeiríssima vez, concluiu-se que morre mais gente por "comer demais" do que à fome!!!

  • Em Portugal, 25% das crianças entre os 3 e 5 anos de idade têm excesso de peso. Se evoluirmos um pouco na faixa etária (7 a 11 anos), este valor aumenta para 30%.

  • Calcula-se que cerca de 3,5% das nossas despesas totais de saúde sejam devidas a co-morbilidades resultantes da obesidade!

  • É importante destacar o papel um tanto ou quanto laxista do estado... Nutricionistas em autarquias? Apenas 14 em 308 municípios...

  • Actividade física? Não, obrigada! Aliás, só quando obrigados!!!

  • Mudando um pouco o tema, mas mantendo o tom alarmista: a história dos biocombustíveis vai ter um impacto profundo na alimentação... Subida (com muito declive!) do preço dos cereais... Cite-se o exemplo de Itália, em que o preço do trigo já quadriplicou (se tivermos em conta que as massas são a base da alimentação deste povo, é que nem é de ficar preocupado) Fenómeno em tudo semelhante ao da cana-de-açúcar no Brasil, mas bem mais grave! O pão é feito de que???

  • A luta pela igualdade começa, inevitavelmente, pela alimentação. Daí que me revolte pensar que 854 milhões de pessoas ainda dormem de barriga vazia... Amartya Sen, Nobel da Economia em 98, afirmou que a fome não se explica pela escassez de alimentos, mas sim pelo facto de não haver igualdade no acesso aos mesmos. Se não há igualdade nisto, há em que?




Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

19

24
26

30


subscrever feeds
me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO