Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

23
Ago 08
Sempre achei esta letra (Carlos Tê, pois claro!) muito, mas mesmo muito siderante
(lamentavelmente apenas escutada uma vez ao vivo...)

Tenho à janela
uma velha cornucópia
cheia de alfazema
e orquídias da Etiópia
Tenho um transistor

ao pé da cama
com sons de harpas e oboés
e cantigas de outras terras
que percorri de lés-a-lés
Tenho uma lamparina

que trouxe das arábias
para te amar à luz do azeite
num kamasutra de noites sábias
Tenho junto ao psyché

um grande cachimbo d'água
que sentados num canapé
fumámos ao cair da mágoa
Tenho um astrolábio

que me deram beduínos
para medir no firmamento
os teus olhos astralinos
Vem, vem à minha casa

rebolar na cama e no jardim
acender a ignomínia
e a má língua do código pasquim
que nos condena numa alínea
a ter sexo querubim

(Bairro do Oriente)
magnetizado por Bibs às 22:08

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
14
15
16

17
19
20
21

24
25
26
27
28
29
30

31


subscrever feeds
me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO