Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

20
Ago 07
Aparelhei o barco da ilusão
E reforcei a fé de marinheiro.
Era longe o meu sonho, e traiçoeiro
O mar...
( Só nos é concedida
Esta vida
Que temos;
E é nela que é preciso
Procurar
O velho paraíso Que perdemos).
Prestes, larguei a vela.
E disse adeus ao cais, à paz tolhida.
Desmedida,
A revolta imensidão
Transforma dia a dia a embarcação
Numa errante e alada sepultura...
Mas corto as ondas sem desanimar.
Em qualquer aventura.
O que importa é partir, não é chegar.


Miguel Torga

P.S. (ao escrever PS fiquei com imensa vontade de reler o Post Scriptum de António Sena): Ao contrário da Drª Isabel Pires de Lima e afins, não me esqueci...
magnetizado por Bibs às 10:03

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17


26
28
29
31


subscrever feeds
me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO