Porque a vida não é um lugar comum. "Transmutar su carne en alma; luego su alma en sueño"

02
Fev 10

Amo-te desde o primeiro raio de sol até ao cair do pano. Amo-te muito antes de saber o que isso era. Amo-te no trânsito frenético, ao som dos caprichos da rádio. Levo-te comigo para todo o lado. E sei que sempre que volto, continuas à minha espera. Amo-te da ribeira até à foz, na tua timidez única, de luzes esbatidas. Amo-te na arrábida, na ida ou no regresso do cinema. Respiro-te, porque me dás vida. Amo-te do cais de gaia, onde consigo absorver-te em mim. Amo-te na baixa, na sé, na praia, no parque da cidade,... Soube desde a primeira vez que queria chamar-te meu. Sei-o desde sempre. Amo-te pela forma graciosa e subtil como me deste e dás tudo, mesmo quando nada te pedi. Amo-te por me encheres o olhar. Amo-te até pela forma rude e vil com que me magoas e me tiras o que não podia perder. Mas sei que me dás de volta. Por tudo isto... és o meu Porto. Amo-te Porto...

magnetizado por Bibs às 14:04

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
26
27

28


Visitantes úteis
Hit Counter
Free Web Counter
Dia fútil do mês
Related Posts with Thumbnails
me, myself&I
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO